Gilberto - Giba
Não há ninguém, mesmo sem cultura, que não se torne poeta quando o Amor toma conta dele.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
FotosFotos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos


Me castre a vida, mas não me castre a alma
 
Usurpadoras exigências comportamentais sem limites
Expectativas
Domesticamos aos outros e a nós como animais de estimação Dela
 
Ela define quem eu posso ser
Ela sequestra minha espontaneidade
Ela endurece meu olhar
Ela me estimula a fazer com os outros tudo que não é bom pra mim
Ela ensina a descontar aqui e ali o que estava lá
Ela não explica o que é processo
Ela não te deixa dúvidas, te determina
Ela te encabresta de tudo aquilo que a milênios tentam esconder
 
Sua bruxa
Sua feiticeira
Sua cigana
Sua guerreira
Sua deusa
 
Maldita Ela, maldita Ela que tem Ele, esse Ele tão maldito quanto Ela
 
Preciso Dele e por isso preciso Dela, odeio Ela, mas Ela ri com sarcasmo, porque sabe que preciso Dele, cantarola: Minha escrava, minha escrava. Fica aqui. Isso não pode. Menina má. Comporte-se.
 
_ Comporte-se? Comporte-se feito o que? 
_ Feito tudo aquilo que sirva para me manter no auge.
 
Ó Ela, já disse maldita. Oprime e rege tanta beleza. Oprime a força e rege a fraqueza.
 
Em vão, tudo em vão. Na fachada dela a descrição: Aqui jás sua liberdade. Seja comum, pertença ou não exista. 
 
Minha arte... escondida no porão Dela, sem valor nenhum pra Ele.
 
Existo sim, alma saudável e vida doente, Nela pela necessidade Dele.

 
Maria Claudia Previato
Enviado por Gilberto Holovatino em 08/03/2018

Música: el hombre triste - Desconhecido

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Maria Claudia Previato). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários